https://radiomixlimeira.com.br/feed/

Polícia prende suspeita de tentar abrir contas bancárias com documentos falsos para aplicar golpes na região de Piracicaba

Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu uma mulher de 37 anos suspeita de tentar abrir contas com documentos falsos em agências bancárias de Charqueada e São Pedro, na Região Metropolitana de Piracicaba – respectivamente, a 38 km e 51 km de distância de Limeira. A indiciada vai responder pelo crime de estelionato.

Segundo informado no portal G1, a prisão ocorreu na quarta-feira (22), por investigadores da Polícia Civil de Charqueada.

O crime na agência de São Pedro ocorreu no dia 8 de dezembro. Na ocasião, a mulher teria apresentado documentos falsos, com dados de outra pessoa, porém com sua própria fotografia, e pedido para uma funcionária da agência abrir uma conta corrente. Após a abertura da conta, ela faria empréstimos e transferiria uma pensão por morte que a vítima tinha direito, no valor de R$ 3.202,83, para a nova conta. Com isso, sacaria todos os valores, deixando a vítima sem o benefício previdenciário e com dívidas decorrentes dos empréstimos.

Também conforme a Polícia Civil, a autora declarou que saiu do bairro Capão Redondo, em São Paulo (SP), para praticar os golpes no interior, e que realiza tais atos há pelo menos seis meses, sendo que neste período teria conseguido aproximadamente R$ 30 mil com a atividade criminosa.
⠀⠀

MODO DE OPERAÇÃO

A investigação aponta que a mulher conseguia dados pessoais das vítimas, e em seguida adquiria documentos falsificados contendo esses dados, mas com fotografia dela. Depois, se dirigia até o INSS, onde conseguia uma senha no nome da vítima – que permitia verificar por meio da internet se aquela mulher possuía ou não algum benefício pago pelo INSS.

Se a pessoa fosse beneficiária, ela se certificava de que a pessoa não tinha conta no banco onde praticaria o golpe e então se dirigia até uma cidade do interior do estado onde realizava os crimes.

A Polícia Civil informou que continuará as investigações para tentar identificar outras pessoas envolvidas na ação.

*Com informações de G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.