https://radiomixlimeira.com.br/feed/

Limeira fica entre as quatro cidades do estado abaixo de 40% de taxa de isolamento social


Cidade registrou índice de 39%, o mesmo de Catanduva (SP), São José do Rio Preto (SP) e Araçatuba (SP). Percentual mínimo exigido pelo estado é de 55%. Vista aérea de Limeira: cidade tem ficado em grupo com as menores taxas de isolamento social do estado
Rafael Sereno / Arquivo Pessoal
Limeira (SP) ficou entre as quatro cidades do estado que não atingiram 40% de isolamento social nesta segunda-feira (11). A cidade registrou índice de 39%, o mesmo de Catanduva (SP), São José do Rio Preto (SP) e Araçatuba (SP). As quatro tiveram o menor percentual entre 104 municípios monitorados pelo governo do estado.
Não é a primeira vez que Limeira aparece na última colocação do levantamento. No último dia 8, a cidade chegou a registrar 36% de pessoas confinadas, dezenove pontos percentuais abaixo do mínimo recomendado.
Em live, na última terça-feira (5), o prefeito de Limeira, Mario Botion (PSD), reforçou a necessidade de respeito à quarentena pela população. “Há muita gente circulando sem necessidade, isso significa que hoje estaríamos fora de qualquer possibilidade de flexibilização”, afirmou.
MAPA: casos de coronavírus pelo Brasil
Coronavírus: veja perguntas e respostas
A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.
Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras, segundo o estado.
Em Piracicaba (SP), o índice registrado nesta segunda-feira foi de 44%, enquanto em Santa Bárbara d’Oeste (SP) foi de 43%. Na semana passada, em dias úteis, as cidades chegaram a cair até a taxa de 41%.
O governo estadual apontou nesta semana que espera que as cidades apresentem índice de 55% para que sejam incluídas no plano de reabertura econômica, após a quarentena, que segue ao menos até 31 de maio.
Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba