Homem que matou dois em briga por causa de lixeira depõe por 2h e deve ser transferido para CDP

Lixeira que motivou discussão e morte de duas pessoas em Artur Nogueira (SP) — Foto: Reprodução/EPTV

O atirador que matou dois homens e deixou uma mulher ferida durante discussão sobre a instalação de uma lixeira, em Artur Nogueira (SP), prestou depoimento por quase duas horas à Polícia Civil nesta terça-feira (2) e alegou legítima defesa. O filho dele, que atua como advogado no caso, sustenta que o suspeito só fez os disparos após ser ferido por golpes de facão e diz que entrará com habeas corpus.

EPTV, afiliada da TV Globo, apurou que Helio Vale deve ser transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Americana (SP), após ter a prisão preventiva mantida pela Justiça durante audiência de custódia. Ele foi levado para a delegacia de Artur Nogueira nesta manhã, após receber alta do Hospital de Clínicas da Unicamp, em Campinas (SP), na noite de segunda-feira.

O depoimento foi encerrado por volta das 12h15. Uma mulher também ficou ferida após disparos.

“A princípio, ele relata que a discussão se iniciou por causa da modificação da lixeira, que é municipal, para uso comum, e chegaram a um ponto em que concordaram que ela fosse colocada em determinada localização. Assim sendo, ele foi, buscou o trator a pedido do senhor que faleceu, quando um rapaz chegou filmando. Ao indagá-lo sobre o motivo das filmagens, iniciou-se uma discussão, chegaram às vias de fato, ele fala que foi agredido pelo rapaz com socos e foi imobilizado por um terceiro até perder os sentidos. Caiu no chão, foi agredido com chutes, se levantou, após já ter se levantado, em pé, foi golpeado com facão. Levou golpe no antebraço, na cabeça, foi até a caminhonete onde se localizava a pistola, sacou e deu tiro pro alto para dispersar o pessoal, já que se tratavam de cinco pessoas. Ainda assim, a pessoa que estava com o facão continuou com a intenção de desferir mais golpe, ocasião que ele atirou e causou toda a fatalidade”, explica o advogado Heitor Vilela Valle.

O filho do suspeito diz que o pai tinha autorização para ter a arma, uma pistola 9 mm, e que ele fez a compra após um sítio dele ser roubado duas vezes. Durante a noite de segunda, o advogado foi à carceragem levar um calçado e insulina para o pai, que é diabético.

Vale foi indiciado pelos crimes de homicídio corporal e lesão corporal, segundo a polícia.

Por : Eptv Campinas / G1 Campinas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *