https://radiomixlimeira.com.br/feed/

Galo que é ‘funcionário’ de cemitério em Rio Claro pode ter que deixar o local

O galo Nino escolheu o Cemitério São João Batista, em Rio Claro (SP), como moradia há pouco mais de um ano e, desde então, faz a alegria dos funcionários. O animal recebe comida, água e carinho todos os dias. Mas nem todo mundo gosta da ave. Alguns vizinhos do cemitério fizeram uma série de reclamações na prefeitura por causa do barulho do seu canto que, segundo eles, ocorre o dia inteiro e de madrugada, o que levou a administração municipal a buscar uma solução.

Segundo o portal de notícias G1, a Secretaria de Administração mandou fazer um viveiro do lado do cemitério onde não há casas por perto e vai tentar manter o animal preso lá, pelo menos no período noturno. O local está quase pronto, só falta o telhado. “A ideia é trazer ele para cá pela alimentação. Nós vamos acostumar ele aqui para dormir. De dia ele vai andar o cemitério inteiro e à noite ele vai dormir aqui porque não tem casa próxima e ele pode cantar a vontade que não vai perturbar ninguém”, afirmou o administrador do cemitério, Manoel de Jesus à reportagem.

O secretário de Administração Pública, Rogério Marcheti, diz que, se o viveiro não resolver, o Nino terá que deixar o cemitério. “Vamos fazer este teste, caso passe o tempo de adaptação ele não consiga ficar ali e continue tendo esse problema, vamos estudar a possibilidade para as equipes competentes fazer a remoção dele e levar para um lugar adequado”, contou ao G1.

Isso, para os funcionários do cemitério. seria como perder um colega de trabalho, já que o animal ganhou até um crachá de “funcionário”.

“Ele representa um dia mais leve, um alento para a gente porque é um lugar triste, ficou mais feliz o nosso dia a dia com o Nino aqui”, disse a chefe do administrativo, Rosana Carvalho. Foi ela quem deu o nome ao galo. “No início, o pessoal deu o nome de Frederico, só que ele não atendia, aí eu comecei a chamar de menino, mas aí para diminuir, porque os animais preferem nomes pequenos, eu passei a chamar de Nino e ele atende agora”, contou.

*Com informações de G1 e imagens de Paulinho Chiari/EPTV

One thought on “Galo que é ‘funcionário’ de cemitério em Rio Claro pode ter que deixar o local

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.