https://radiomixlimeira.com.br/feed/

Em 24 dias, PM e GCM resgatam 198 galos de rinha em Limeira

No período de 24 dias, Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM) realizaram três flagrantes e resgataram 198 galos que eram utilizados para rinhas em Limeira. A facilidade de lucrar com o negócio é apontada como um dos estímulos para a prática deste tipo de crime.A ação mais recente aconteceu nesta terça-feira (22). A PM foi até uma chácara no bairro Lagoa Nova cumprir um mandado de prisão contra Antonio Alves da Silva, de 43 anos. Ele é suspeito de fazer ameaças contra a ex-esposa, de 36 anos, e de disparar tiros de revólver na casa dela. Antonio tentou fugir da polícia, mas foi detido.Em revista à chácara, a PM encontrou nove galos da raça “índio”, comumente associados a rinhas, e também dez pássaros silvestres. Além disso, os policiais acharam um “ringue” e uma estrutura de madeira com outras gaiolas, o que mostrou indícios da prática de rinha de galos. As penas dos animais apresentavam falhas, o que, segundo a Polícia Ambiental, comprovaria o treino destes galos para lutas.Antonio Alves da Silva saiu algemado e foi encaminhado para a delegacia. O caso foi registrado como captura de procurado, posse irregular de arma de fogo e ato de abuso a animais. As aves ficaram sob custódia de um vizinho, que se comprometeu a fornecer os cuidados adequados.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀BALANÇOEm menos de um mês, esse foi terceiro caso de apreensão de galos de rinha em Limeira. Em 30 de agosto, a PM flagrou uma rinha em uma chácara. Trinta e sete pessoas acompanhavam a briga e 89 galos foram encontrados, dois já sem vida. Cada um dos 21 donos das aves recebeu multa no valor de R$ 273 mil. Eles puderam recorrer.No dia 6 de setembro, a GCM apreendeu cem galos de rinha no Jardim Esmeralda. Pássaros silvestres, sendo um pintassilgo, um coleirinha e dois canários da terra, também foram apreendidos. O dono da chácara foi encaminhado pra delegacia e vai responder por crime ambiental.Delegado assistente seccional, Francisco Paulo Oliveira Lima explicou que o suspeito vai responder um processo e pode ser multado e até preso. “É uma crueldade contra os animais. Para se ter uma ideia, eles são treinados, ficam presos, sem alimentação, exatamente para se dar aquele clima de revolta. Então, é uma barbárie que eles cometem. É importante as pessoas denunciarem e a gente tomar as providências e encaminhar para o Judiciário, para estas pessoas serem penalizadas”, orientou. Denúncias podem ser feitas através dos telefones 153 (GCM), ou 190 (PM).(Foto 1: EPTV / Foto 2: GCM Limeira)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.