https://radiomixlimeira.com.br/feed/

Doses infantis de vacina contra a Covid chegam a partir do dia 10, diz Queiroga; Ministério se esquiva de dar mais informações

Foto: Tobias Schwarz/AFP

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta segunda-feira (3) que as doses infantis da vacina da Pfizer para crianças entre 5 e 11 anos devem começar a chegar ao Brasil a partir do próximo dia 10 – segunda-feira da próxima semana.

Em entrevista coletiva na tarde de ontem, Queiroga afirmou que a decisão do Ministério da Saúde sobre a vacinação desse grupo será divulgada no dia 5, quarta-feira, e que não será “muito diferente do que o Ministério já colocou em consulta pública”.

Segundo a pasta, a previsão é de que as doses da vacina contra a covid-19 para crianças comecem a ser aplicadas a partir da segunda quinzena deste mês de janeiro.

Queiroga não informou quantas doses devem chegar ao Brasil, mas disse que serão suficientes para imunizar todas as crianças “que os pais e mães quiserem vacinar”.

O ministro também não confirmou data de início para a vacinação, e disse que para isso as doses precisam ser checadas pela Anvisa, aprovadas pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade da Saúde, e que os estados e municípios precisam se adequar às recomendações da Anvisa para a vacinação infantil.

O Ministério da Saúde não relevou ainda quais informações foram recolhidas depois da inédita consulta pública sobre vacinação em crianças, que o governo iniciou no dia 21 de dezembro, encerrada no domingo (2). A iniciativa foi criada após a Anvisa ter liberado para uso emergencial a vacina infantil da Pfizer. A pasta não informou o número de participantes da consulta e também não indicou se haverá algum uso dessas informações.

Haverá também uma audiência pública – outro dispositivo usado pelo governo – para consultar a comunidade médica nesta terça-feira (4) antes de iniciar a vacinação. O ministro da Saúde disse que membros do Conass, do Conasems, do Conselho Federal de Medicina, das sociedades científicas e das secretarias finalísticas do Ministério da Saúde devem participar da audiência.

A Anvisa já havia consultado cerca de 1.600 pessoas – entre elas, cientistas e médicos – para liberar em caráter emergencial a vacina para crianças, mas o ministro Queiroga disse que ainda quer ouvir especialistas. Os médicos que vão participar da audiência pública serão conhecidos apenas durante o evento, e não foram esclarecidos os critérios usados pelo governo para a convocação.

E o ministro disse que, independentemente da consulta e da audiência públicas, a recomendação do Ministério já está feita: será necessária a apresentação da prescrição médica. Apesar da declaração do ministro, alguns estados já disseram que não vão exigir o pedido médico durante a campanha de vacina infantil contra a Covid. A Anvisa respalda a decisão dos estados e se opõe à condição.

Também não se sabe quantas doses serão adquiridas. A Pfizer declarou que espera o pedido do governo brasileiro sobre a quantidade necessária de doses da vacina infantil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.