Tênis usado por Michael Jordan é leiloado por R$ 3,2 milhões; document́ário inflaciona mercado

Itens de colecionador ligados a Michael Jordan estão cada vez mais valorizados no mercado. Neste último domingo, a empresa americana de leilões Sotheby’s negociou por US$ 560 mil (R$ 3,2 milhões) um par de tênis, utilizado em 1985 e autografado pelo astro, do primeiro modelo da linha dele, a Air Jordan. A explicação para esse boom é a repercussão de um documentário americano sobre a dinastia do Chicago Bulls na NBA nos anos 90.

Jamais se pagou tanto por um tênis em um leilão. O recorde anterior era de um modelo Nike Moon Shoe, uma sapatilha criada em 1972 que revolucionou o atletismo e foi leiloada no ano passado por US$ 437.500 (R$ 2,55 milhões).

Tênis leiloado de 1985 tem as cores do Chicago Bulls — Foto: Divulgação/Sotheby's

– Isso pode ser atribuído ao documentário, porque o tênis está no mercado há anos – comentou o economista americano da StockX, Jesse Einhorn, em entrevista para a agência francesa de notícias AFP.

Com um modelo similar ao leiloado, Michael Jordan fez uma exibição histórica, em 1998, quando atuou com os pés sangrando por estar usando um tênis menor do que os pés dele – e com 13 anos de fabricação -, na vitória dos Bulls sobre o New York Knicks, em um adeus do ídolo ao icônico ginásio Madison Square Garden, em Nova York.

O terceiro colocado no ranking de tênis com maior valor de negociação em leilões também pertence a um produto ligado a Jordan – um par arrematado, em 2017, por US$ 190.3 mil (R$ 1,1 milhão), que foi utilizado pelo craque nas Olimpíadas de Los Angeles 1984, quando ele conquistou o primeiro de dois ouros olímpicos da sua carreira.

Outro tipo de produto ligado a Jordan que viu o seu valor subir bastante foi o card. Bastante tradicional nos Estados Unidos, o cartão que lembra uma figurinha está alcançados valores absurdos, como os US$ 96 mil (R$ 560 mil) pagos por um exemplar da temporada 1985/1986, em um site de leilões.

– Muitas pessoas que tinham uma coleção de cards esportivos quando criança estão vasculhando freneticamente os seus sótãos para encontrar caixas e fichários – disse Geoff Wilson, fundador de uma plataforma que reúne colecionadores de card nos Estados Unidos.

fonte:g1.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *