Frentistas feridos em explosão de carro em posto recebem alta, no ES

Postado em 11/jul/2018


Dois frentistas ficaram feridos na noite desta terça-feira (10). O dono do carro está sendo procurado, segundo o delegado Marcelo Nolasco. Carro ficou completamente destruído em Vila Velha, no Espírito Santo
Luciney Araújo/ TV Gazeta
Os dois frentistas que ficaram feridos na explosão de um carro em um posto de combustíveis em Vila Velha, no Espírito Santo, receberam alta nesta quarta-feira (11). O carro também foi retirado e o posto funciona normalmente.
O acidente aconteceu por volta das 21h, em um posto de combustíveis que fica na avenida Carlos Lindenberg, em uma das entradas para o bairro Cobilândia, em Vila Velha. O dono do carro está sendo procurado pela polícia.
“O dono do carro está em situação de flagrante e delito. Ele fugiu do local do crime após cometer dois delitos – um de uma lei específica que proíbe a pessoa usar gás em veículo sem ser devidamente licenciado e um outro crime do Código Penal, que é causar a explosão, colocando pessoas e patrimonio em risco. A pessoa está foragida nesse momento”, disse o delegado regional de Vila Velha, Marcelo Nolasco.
Posto de combustível em Vila Velha, onde carro explodiu no Espírito Santo
Manoel Neto/ TV Gazeta
Nolasco disse ainda que a polícia vai usar imagens das câmeras de segurança do posto na investigação. O motorista que estava com o carro no posto não é dono do veículo. No final da tarde desta quarta, ele estava sendo ouvido na delegacia. Foi ele quem indicou quem é o dono do veículo, que está sendo procurado.
Dentro do carro, tinham duas botijas de gás de cozinha. Uma explodiu e outra ficou intacta. Segundo os bombeiros, o carro tinha um sistema com os duas botijas interligadas. Durante o abastecimento, uma botija não suportou a pressão e explodiu. O carro deveria ter um cilindro para gás natural veicular.
O tenente Rainer, do Corpo de Bombeiros, disse que tanto o sistema do carro feito com botijas de cozinha é irregular, quanto o abastecimento deles em um posto de combustível.
O procedimento correto seria o frentista checar para onde o gás estava indo. “De forma nenhuma pode ser feito o abastecimento de gás natural veicular em botija de gás de cozinha. Então, são botijas que não são preparadas para resistir esse tipo de pressão”, disse o tenente.
Carro ficou completamente destruído em Vila Velha, no Espírito Santo
Manoel Neto/ TV Gazeta
Sindipostos
O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Espírito Santo (Sindipostos-ES) explicou que não faz parte da rotina dos frentistas abrir o carro dos clientes para verificar como está o sistema do carro.
O Sindipostos disse ainda que o procedimento feito pelos frentistas foi correto e que o acidente foi resultado de um ato irresponsável de uma pessoa que fez a adaptação irregular.
Source: Notícias principais g1

Os comentários estão desativados.