Comerciante se revolta com roubos e resolve fazer 'doação' para ladrões em SP

Postado em 10/ago/2018


Empreendedora percebeu que peças novas, ainda com etiquetas, estavam sendo furtadas, e fez uma caixa para doar roupas aos criminosos. Dona de bazar colaborativo criou seção para quem furta roupas do local
Arquivo Pessoal
A dona de um bazar colaborativo de roupas em Cubatão, no litoral de São Paulo, cansou de ser alvo de ladrões e resolveu criar uma caixa de doações para aqueles que furtam peças no estabelecimento. Os crimes se tornaram recorrentes, e os responsáveis ainda não foram identificados. A polícia investiga o caso.
“Doação para você que me rouba! Pegue e não roube mais!”, diz a folha de papel escrita à mão e fixada a uma caixa, que foi colocada em frente ao estabelecimento, no Centro da cidade. Dentro do objeto, a auxiliar de enfermagem Gisele de Oliveira, de 37 anos, dona do bazar, colocou uma calça, uma camiseta e um top.
“Eu não sei quem está retirando as peças, se é homem ou mulher. Eu só sei que não quero mais ser prejudicada, mas acho que posso ajudar essas pessoas de alguma forma”, ponderou, ao exemplificar que os furtos tornaram-se recorrentes. Para não aumentar o prejuízo, ela espera que a ideia seja a solução.
Gisele foi surpreendida quando peças de roupas foram furtadas de bazar
Arquivo Pessoal
Gisele explica que chegou a acreditar que os ladrões poderiam ser pessoas em vulnerabilidade social, como moradores de rua, que precisavam de uma muda de roupa para o dia a dia ou, simplesmente, para se aquecer. “Mas quem leva pega as roupas com selo. São as melhores peças, novas, e nunca usadas”, explica.
A empreendedora abriu o bazar para a própria subexistência, uma vez que ficou desempregada há aproximadamente um ano. “Foi a maneira que eu consegui achar para poder me sustentar, e eu tenho conseguido, com bastante esforço. A ideia tem dado certo, e agora não quero ser prejudicada por isso”, afirma.
Ela afirma, ainda, que não quer o mal da pessoa ou das pessoas que estão levando as roupas do bazar. “Se estão passando necessidade, a caixa servirá para que possam pegar aquilo que elas precisam”, fala. Depois que Gisele acionou a polícia, rondas foram intensificadas na região do estabelecimento. Até agora ninguém foi preso.
Source: Notícias principais g1

Os comentários estão desativados.