Preço de alimentos básicos dispara.

Os novos hábitos causados pela quarentena em razão da Covid-19 impactaram no bolso dos consumidores. As pessoas que ficaram mais tempo, ou o dia todo, em casa passaram a fazer as próprias refeições. O reflexo no aumento do consumo foi a alta nos preços do arroz, do feijão e do leite, por exemplo. Um levantamento da Fecomércio aponta que os produtos da alimentação em domicílio subiram 11,1% em 12 meses, enquanto a inflação medida pelo IPCA foi de 4,31% no período.

A assessora econômica da Fecomércio, Júlia Ximenes, explica que os preços não sobem somente para que os vendedores obtenham lucro, mas também pelo procura maior dos clientes. O feijão carioca disparou com 46% de aumento. O arroz teve 28% e o leite longa vida, quase 25%. Segundo a economista, além do consumo, o maior prazo de validade desses alimentos influencia nos reajustes.

Ao mesmo tempo, os alimentos em natura, como frutas, legumes e verduras, principalmente os que estão em época na estação, ficaram mais baratos e são opção para quem quer economizar, diz Júlia Ximenes.

A pesquisa da Fecomércio constatou ainda que os produtos de limpeza e planos de saúde também tiveram reajuste acima da inflação. O detergente subiu 7% no período da pandemia.

(Conteúdo: CBN Campinas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *