Paraná planeja começar testes de vacina russa contra a Covid-19 em 45 dias com 10 mil voluntários

A vacina russa que foi desenvolvida para combater a Covid-19 deve começar a ser testada no Paraná em 45 dias, com cerca de 10 mil voluntários, segundo estimativa divulgada pelo governo do estado, nesta quinta-feira (27).

Os testes só serão iniciados após aprovação dos órgãos reguladores, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Governo do Paraná e a Rússia assinaram no dia 12 de agosto um documento para o desenvolvimento da vacina Sputnik V, do Instituto Gamaleya.

O que se sabe sobre a vacina que a Rússia registrou contra o coronavírus e por que desperta dúvidas
Nesta quinta-feira, membros da gestão estadual se reuniram com a direção da Anvisa, em Brasília, para falar sobre a vacina.

De acordo com o governo, a reunião foi feita para colher informações sobre a produção do protocolo de validação da fase três e final de testes da vacina, para que os estudos possam ser realizados no Brasil.

O Paraná já recebeu os estudos das duas primeiras fases da vacina russa e trabalha na tradução das informações para o início das análises.

Segundo o governo, o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e o Instituto Gamaleya devem desenvolver em até 30 dias o protocolo de validação, que será enviado para a Anvisa e para a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

por g1.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *